Futebol Saudade

Desde que, há mais de 100 anos, se fez o primeiro campeonato de futebol em Portugal, que a "passerelle", que é a vida desportiva, viu desfilar milhares de clubes.
Uns ainda hoje existem, pujantes e vigorosos até, outros, embora perdendo protagonismo, ainda resistem. Mas muitos ficaram pelo caminho.
Passaram ao futsal, deixaram o desporto, ou fecharam mesmo as portas. É dos que partiram (e não só), que aqui vamos tentar deixar a memória.




segunda-feira, 3 de setembro de 2018

Futebol em Lousada, com o pioneirismo de Lagoas



 No início dos anos vinte do século passado, era a vila de Lousada uma terra de grande actividade, como podemos ver através do seu muito antigo (1907) Jornal de Lousada.

Três hotéis na urbe, com o Grande Hotel de Lousada, Hotel Avenida, frente ao jardim do Senhor dos Aflitos, e o Hotel do Comércio, que se situava no largo da Feira do Gado.

Organizavam-se então (JL 4 DEZ 1926) diferentes iniciativas, no intuito de criar uma corporação de bombeiros.
Por outro lado, a autarquia envolvia-se no concurso de adjudicação da exploração da linha-férrea Penafiel-Lixa, e que atravessava o concelho. Esforço vão, pois a não existência de concorrentes levou o governo, mais tarde, a decretar o fim da linha (Maio de1931).


Entretanto o jornal permite que se veja o vigor e diversidade do seu associativismo.
Em Abril de 1927, na avenida dos Combatentes, instala-se o novo “Clube Artístico Lousadense”.
Mas já outros existiam, como a “Assembleia Lousadense”, “Grémio Recreativo e de Instrução Lousadense”, “Banda Musical Lousadense”, e “Sociedade Cooperativa de Consumo Lousadense”.
Era muito e diverso o universo das colectividades. De futebol é que nada se lia, até que em Novembro de 1930 o jornal insere uma nota, onde comenta o aparecimento do futebol na vila. Diz que o Académico local, formado por estudantes da terra, foi de abalada até Leça para jogar com os dali. Perderam 5 a 1, e deles não se voltou a ouvir falar. Foi grupo de ocasião, como era regra naqueles tempos.

Mas logo no ano seguinte (5 SET), o jornal mostra entusiasmo pela organização do Lousada Foot-Ball Club, que irá jogar no improvisado “campo da Avenida” com o Penafiel Académico Club, campeão infantil.

Este “campo” não era mais do que o aproveitamento de uma rua da vila, no caso a avenida da Boavista (!), para instalar o campo de jogos. Baliza às costas na melhor interpretação!
Mas isso não obstava a que o futebol continuasse. Logo em Janeiro de 1932, o clube publicita uma convocatória dos seus jogadores, para que se apresentassem no “campo”.

Neste entretanto surge a concorrência. É o Foot-Ball Club Lagoense que se apresenta, quando em convocatória publicada no jornal (13 JAN 1932), o seu presidente de então, João Moreira dos Santos, convoca os sócios para a sede do clube, a fim de discutirem assuntos respeitantes ao clube.


Como nos dá conta O Penafidelense de 18 Abril de 1933, o futebol já então se jogava aqui, pois aquele jornal relata que “em 2 de Abril, a UD Penafidelense (reservas), deslocou-se a Lagoas, empatando a 4 com o grupo local”.
Era o Foot-Ball Club Lagoense, fundado em 1931, num qualquer campo algures em Lagoas.
O que viria a ser o seu campo de jogos, o campo do Sobreiro, viria a ser inaugurado em 1933 (JL 11 NOV 1933).

Em 1934/35, a Liga Invicta, então integrada na AF Porto, tinha entre os seus constituintes o Foot-Ball Club Lagoense, de Lagoas/Lousada (R&C da AF Porto 1934/35), circunstância que confere ao clube aquele cunho de pioneirismo que acima salientamos.
Tenhamos presente que só em 1949 a Associação Desportiva de Lousada levará o futebol oficial à vila (JL 19 MAR 1949)

Entretanto no início dos anos trinta, o futebol por aqui navega em águas de cruzeiro.
O Lousada vai jogar a Lagoas, e ganha por 7 a 0! Foi Magalhães de seu nome, o goleador-mor, que fica para a história. Eram 16 horas e 4 minutos, do domingo 7 de Fevereiro de 1932.
O Jornal de Lousada dá deste jogo uma alargada reportagem, cheia de peripécias.
Entretanto em Lousada continuava a não haver campo, mas já havia 2 clubes!
As divergências no Lousada levam ao aparecimento do Sport Clube Lousadense!
O JL conta tudo (27 FEV 1932).

Como se disse não havia campo, o que fazia da sua falta o ponto principal das iniciativas do clube, que finalmente vê a hipótese de construir um campo nos Eidos Novos. Será o “campo da Boavista” a nascer (JL 7 MAI 1932).

Na Aparecida também se implanta um campo de futebol, iniciativa do Aparecidense FC.

Mas depressa o entusiasmo sofre um arrefecimento, que leva ao desaparecimento do futebol aqui, e destes clubes. O Lousada ainda tenta (JL MAR 1937) um rejuvenescimento através de uma nova direcção, mas foi tentativa falhada. O campo do Lagoense servia a clubes de circunstância (JL 28 MAI 1938).



Mas a vida não pára, e em Lagoas, na Quinta da Tapada inaugura-se (3 OUT 1940) uma fábrica de lacticínios, que irá alterar o panorama desportivo no concelho.

Faz o Jornal de Lousada em 1942 (26 SET), uma resenha sobre a União de Tapada, novel clube surgido em Lagoas, e que tem o seu epicentro na Quinta da Tapada.

Conta o jornal que, agora que se deu a abertura da época, isso trará muito movimento ao UD Tapada, entre cujos elementos se encontram os senhores André Mayer e Eduardo Marta, respectivamente técnico de lacticínios e guarda-livros da Fábrica, que dá o nome ao clube.
São também valorosos elementos, os professores António Sistelo, e Manuel Sistelo (Zinho) de Lagoas.

No início de 1948 realiza-se uma AG para aprovação de Estatutos (Jornal de Lousada 7 FEV), que lhe irá permitir inscrever-se na AF Porto, e concorrer ao futebol oficial. É o que acontece em Outubro, quando vence o primeiro jogo sem jogar. O CD Penafiel não se apresenta a jogo. Joga o segundo em casa com o Amarante, que ganha 9-2.
Iniciava-se assim a presença do concelho no futebol oficial, cabendo essa primazia ao clube de Lagoas.
Por 6 anos compete no futebol distrital, mas na última época sente grandes dificuldades financeiras, e falta a alguns jogos por falta de meios para as deslocações. Fecha portas (ver Jornal de Lousada 30 JAN 1954, pg 2).

Inicialmente o clube competia no campo que havia servido ao Lagoense. O campo do Sobreiro. Mas em 1948 dá-se a inauguração do novo campo de futebol, a que o jornal de Lousada chama de campo de Valmésio.
O campo chegou até hoje, usado agora pela União de Lagoas, que até o vem beneficiando actualmente, para lhe permitir a aceitação associativa, que lhe permita aceder ao futebol federado.
Para já dinamiza o futebol de Formação, sendo que o sénior milita nos campeonatos concelhios.
Depois de ter andado no Inatel, dedicou-se a este futebol, sendo crónico vencedor do concelhio de Paredes, já que Lousada não o tinha.

É este clube um tributo às suas gentes, pela perseverança, e entusiasmo com que abraça este desporto, que se joga aqui vai a caminho dos 100 anos!


Entretanto, no espólio da AD Lousada, consta a oferta em 1949, de um galhardete do clube, situação retratada no R&C da ADL, publicado no Jornal de Lousada 4 FEV 1950, pg 3.Ainda existirá?