Futebol Saudade

Desde que, há mais de 100 anos, se fez o primeiro campeonato de futebol em Portugal, que a "passerelle", que é a vida desportiva, viu desfilar milhares de clubes.
Uns ainda hoje existem, pujantes e vigorosos até, outros, embora perdendo protagonismo, ainda resistem. Mas muitos ficaram pelo caminho.
Passaram ao futsal, deixaram o desporto, ou fecharam mesmo as portas. É dos que partiram (e não só), que aqui vamos tentar deixar a memória.




terça-feira, 3 de setembro de 2019

Morber um campo de futebol em Caminha


O futebol em Caminha nunca teve grande projecção e aderência, mas isso não retira às suas gentes o pioneirismo na sua implantação.




Coube a primazia a esse prestigioso clube que ainda hoje leva longe o nome da terra:
Sporting Clube Caminhense.
O campo da Retorta, junto à ponte sobre o Coura, e onde hoje existe um parque municipal, foi o recinto de jogo que serviu aos desportistas de então.

E não se pense que era um lugar improvisado e sem qualidade. Puro engano. O campo inaugurado em 6 de Julho de 1930, já então dispunha de bancadas, camarotes, e vedação.

O adversário do Sporting Clube de Caminha, era um ilustre visitante. Tratava-se do Real Celta de Vigo. Muitos espanhóis presentes, que o ajudaram a vencer por 3-1.

Ao cônsul de Portugal em La Guardia, convidado a estar presente, coube-lhe o papel de árbitro, ele que era de uma família de pergaminhos no desporto. Mário Duarte.




                 A memória hoje está diluída, e o local, elevado entretanto, foi transformado em jardim. O campo agora existente fica lá para o Camarido, e chamam-no de Morber. Também é história curiosa, que agora vamos contar. (1).

                 Como complemento à nota, saliente-se que este ano de 1930 foi marcante em Caminha, pois após a inauguração do estádio, também a ponte sobre o Coura foi aberta ao trânsito, após 10 anos (!) de interrupção. Recuperada, deixou de se passar para a outra banda pela ponte de Vilar de Mouros!


(1) – com a ajuda do Comércio do Porto 1975