Futebol Saudade

Desde que, há mais de 100 anos, se fez o primeiro campeonato de futebol em Portugal, que a "passerelle", que é a vida desportiva, viu desfilar milhares de clubes.
Uns ainda hoje existem, pujantes e vigorosos até, outros, embora perdendo protagonismo, ainda resistem. Mas muitos ficaram pelo caminho.
Passaram ao futsal, deixaram o desporto, ou fecharam mesmo as portas. É dos que partiram (e não só), que aqui vamos tentar deixar a memória.




sexta-feira, 3 de junho de 2016

Moura - futebol de muitos anos.


Moura – o campo antes dos clubes!


A coisa até nem foi assim, mas lá que parece…
O concelho de Moura, no Alentejo profundo, ainda hoje é terra, se não isolada, terra sozinha, na fronteira com Espanha.
Não é fácil imaginar o que seria 100 anos atrás, mas pode conhecer-se a pertinácia das suas gentes, que demonstra bem a fibra dos portugueses, cuja inventiva e capacidade de improviso, os leva a construir o impensável. E o futebol por aqui foi bem o reflexo dessa têmpera.

Ainda a monarquia estava de saída, e já Moura respirava futebol por todo o lado.
Estamos em 1912 e já aqui se fazem desafios, com equipas e clubes de todo o género, para todo o gosto, e em laboração contínua. Ou quase.

Em 1922 a coisa torna-se séria. Surge o Moura Foot-Ball Club. Logo a seguir, nesse mesmo ano, aparece o Sport 9 de Abril, e um ano mais tarde são 2 os nasciturnos.
O 5 de Outubro Foot-Ball Club, e o Luso Sport Club. Logo depois aparece o Arucitana Foot-Ball Club.

Este boom de clubes e o consequente entusiasmo pelo futebol, levam ao aparecimento em 1924 da Federação de Futebol Mourense, visando dirigir e organizar os jogos locais, antecipando-se inclusivamente à própria associação de futebol distrital, que apenas em 1925 seria criada.

Joga-se mesmo o I Campeonato de Moura, que o Jornal de Moura relata com desenvoltura. O que não diz é onde se jogava, já que o campo Maria Vitória só haveria de aparecer mais tarde.


É então que em 1927 se inaugura o campo Maria Vitória, excelente recinto, vedado e dispondo de balneários, que concita a admiração de Artur da Silva Dias, jornalista e dirigente da AF de Beja, que convidado por dr Marcelino Fialho Gomes, presidente da autónoma federação local, não filiada na União de Futebol, para dirigir um jogo do campeonato local, o 9 de Abril com o Arucitana (1), dá conta da sua admiração em artigo que escreve no Diário do Alentejo.

Mas localmente a criação do campo e a sua inauguração, em 1 de Janeiro de 1927, como relata, cheio de azedume por não ter sido convidado, o articulista do Jornal de Moura, desanca o “senhor Marcelino Fialho (2), que foi quem o mandou fazer por conta da câmara, e risco seu”.

De qualquer forma, foi este campo que serviu ao futebol de Moura por largos anos, até à viragem do século XX, começando desde o princípio a criar atritos. Logo em Maio de 1926, a Liga de Moura pediu o seu aluguer ao Senado, mas houve muitas discordâncias. A situação é relatada em 9 de Maio de 1926, no Jornal de Moura.

A associação distrital surge em Fevereiro de 1926, e publica um comunicado no jornal da vila em 13 de Março desse ano, mas só em 1935 é que um clube da vila participaria no futebol distrital. Seria o Sport Lisboa e Moura, fundado em 1933.
Quase logo haveria de aparecer o Sporting Clube Mourense, mas nunca chega ao futebol oficial.
Aliás a vila só teria outro clube a integrar o futebol distrital ao longo de todos os tempos. Futebol sénior, entenda-se.

Depois da inauguração do estádio do Moura, este velhinho recinto do Maria Vitória, permaneceria largos anos sem uso, até que em 2011, a autarquia o  transforma em parque de estacionamento provisório.
Hoje, o futebol na agora (desde 1988) cidade de Moura, está entregue ao Moura Atlético Clube, que nos seus quase 75 anos, continua jovem e vigoroso.


(1)     – tão estranho nome tem origem na alusão a Arucci, suposto nome dado pelos romanos a Moura.
        (2)   – ver entrevista no Jornal de Moura nº 277,  Maio de 1928, pg 1