Futebol Saudade

Desde que, há mais de 100 anos, se fez o primeiro campeonato de futebol em Portugal, que a "passerelle", que é a vida desportiva, viu desfilar milhares de clubes.
Uns ainda hoje existem, pujantes e vigorosos até, outros, embora perdendo protagonismo, ainda resistem, mas muitos ficaram pelo caminho.
Passaram ao futsal, deixaram o desporto, ou fecharam mesmo as portas. É dos que partiram (e não só), que aqui vamos tentar deixar a memória.




quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Frazão - encontro com o seu futebol



Não é o concelho de Paços de Ferreira diferente da maioria dos outros concelhos. Pelo menos no futebol.
Das suas primitivas 16 freguesias – que hoje são 12 – existe futebol em 12 delas. Mas em todas as 16 houve clubes filiados. Por isso que não seja de estranhar o rico espólio histórico associado a estas manifestações desportivas.

No levantamento que empreendemos sobre o futebol oficial, no que respeita a competições de seniores, deparamo-nos com um Frazão nos anos setenta. Esteve no futebol oficial, jogando-o por 2 épocas.

Nas visitas que fizemos à história e ao local, deparamo-nos com duas circunstâncias. A convicção que se trata da existência de 2 clubes distintos, mas com pontos comuns marcantes. Desde logo o lugar que viu nascer ambos. Repiade. Ainda hoje é na rua deste nome que se encontra a bonita casa do clube actual. A Associação Desportiva e Cultural de Frazão, nascida em 1982.
Mas também encontramos neste clube a pegada do grande impulsionador do futebol na agora vila de Frazão, e que esteve na origem do original Grupo Desportivo de Frazão: o senhor Manuel Gonçalves Sousa. Fundador do primeiro clube, mas também associado ao nascimento do segundo.

Existem por aqui muitas memórias vivas, e foi na companhia de uma delas, o senhor José Nunes, homem do futebol, que defendeu, entre muitas outras a baliza do Paços de Ferreira, que ficamos sabedores de algumas.

Falemos então, cronologicamente, do futebol nestas bandas.

Em 1977 surgia o Grupo Desportivo de Frazão, que durante 2 épocas militou na 3ª divisão distrital da AF Porto, e cujo percurso está bem consubstanciado no jornal o Pacense.
O seu equipamento era de camisolas às riscas verticais, onde imperava o vermelho e o branco.
Tinha o seu campo nas Fontaínhas, onde hoje se encontra uma zona industrial. A actual travessa das Fontaínhas, que ao fundo albergava o campo do Frazão, onde hoje se encontra uma fábrica de mobiliário: a Provence.

Mas em 1979 o clube fecha portas. Pelo menos o futebol oficial tinha acabado.
Terá sido o facto de existir um campo de futebol, abandonado e desleixado entretanto, que terá levado alguns entusiastas do jogo a proporem-se à sua reabilitação. Foi o que sucedeu com o entusiasmo do senhor José Nunes, acolitado sobretudo pelos seus amigos Martinho e Souto. E terá sido isso que levou à reabilitação do futebol, criando um novo clube: a ADC de Frazão, que tem vida a partir de 24 de Abril de 1982. 
Tem então nova vida o campo das Fontaínhas, que serve de palco aos muitos jogos amigáveis do novo clube. Mas em 1992 ansiando por outros voos, inscreve-se no Campeonato de Amadores da AF do Porto, onde esteve até à extinção da competição.
Entretanto 1995 trouxe-lhe novo campo. O actual, e que lhe serve à continuidade do seu percurso futebolístico, que agora se verifica no campeonato distrital da 1ª divisão.

Ficam aqui os tópicos, resumidos, de uma grande e variada história, que estará cheia de peripécias obviamente, e que alguém um dia contará com mais pormenores.
Pelo que vi e ouvi, por certo que matéria não faltará.