Futebol Saudade

Desde que, há mais de 100 anos, se fez o primeiro campeonato de futebol em Portugal, que a "passerelle", que é a vida desportiva, viu desfilar milhares de clubes.
Uns ainda hoje existem, pujantes e vigorosos até, outros, embora perdendo protagonismo, ainda resistem. Mas muitos ficaram pelo caminho.
Passaram ao futsal, deixaram o desporto, ou fecharam mesmo as portas. É dos que partiram (e não só), que aqui vamos tentar deixar a memória.




domingo, 3 de julho de 2016

Vila Real - como foi o arranque


Chaves – os primórdios do futebol.

Não são muito expansivos os jornais flavienses quanto à história dos pioneiros na cidade. Mas sem grande margem de erro, é possível estabelecer uma hierarquia.


Terá sido 1919 o ponto de partida do futebol por aqui, que é quando surge o Flávia Sport Clube.
O jornal Região Flaviense diz em 1 de Abril de 1923, que se criou uma federação dos clubes flavienses, visando congregar todos os clubes da cidade, mas a instituição teve pouco tempo de vida, já que logo em 29 Julho falava do desaparecimento da associação, tendo o Flávia declarado o abandono da mesma.

Entretanto, e pelo retirado de jornais de Vila Real e de Chaves, foi possível conhecer os clubes então existentes.
Tâmega Foot Ball Club, fundado em 1921 (Região Flaviense 30 Setembro 1923).
Em Julho de 1922 (jornal Povo do Norte), é citado o recentemente fundado,  Industrial Foot Ball Club, a propósito de um jogo com o Sport de Vila Real.
Também o Artístico Foot Ball Club é citado na mesma ocasião, que deve coincidir com a data da sua organização.
Ainda em Agosto de 1922, é feita referência ao Grupo Desportivo dos Empregados do Comércio de Chaves.

Entretanto, e a propósito de campos em Chaves, e aquando da deslocação a esta cidade do Vila Real, diz o jornal Povo do Norte, comentando o jogo, os jogadores, a assistência e o “campo” que para o definir basta dizer que serve à feira do gado. Era o “campo do Tabolado.
Chaves ainda não tinha campo, e por isso, o jornal Região Flaviense, haveria de incitar os clubes de então a organizarem-se, e pressionarem a Câmara  (24 Abril 1924).

Entretanto o Tâmega alia-se ao Artístico (Região Flaviense 15 Abril 1924), e juntos, dão origem ao Foot-Ball Club de Chaves.
Viria a ser este clube, aliado ao Flávia, que eram os 2 clubes então existentes, já que o Industrial há muito que deixara de dar sinais de vida, que passam a pressionar a Câmara Municipal, visando a construção de um campo de futebol.
Esta acabou por se decidir pela construção de um campo de jogos, colocando a condição de os clubes participarem nos custos de tal empreendimento.
Feita a construção do campo, coube a cada clube pagar um pouco mais de 5 contos. Mas os do FC de Chaves não tinham receitas para tão grande encargo, pelo que decidiram realizar uma assembleia-geral para resolver a dificuldade. Perante a impossibilidade de realizar tal capital, deliberaram extinguir o clube, e vender o património (mobiliário sobretudo), pagando assim ao empreiteiro a importância devida. Assim se fez, e o clube desapareceu pelos fins de 1927.

Ficaria o Flávia, que tendo a companhia do Atlético Flaviense, fundado em 1929, seria a semente do Grupo Desportivo de Chaves, em 1949.

Sport Clube de Vila Real – nasce um clube e o futebol

“Na Assembleia Comercial, reuniram grande número de indivíduos desta vila, a fim de organizarem um clube sportivo.
Presidiu a esta reunião, o major Fernandes Barão.
Consta que o nosso município cederá a este clube, o extenso terreno onde se achava a praça de touros”

Assim escrevia em 3 de Outubro de 1920, pg 2, o jornal de Vila Real “O Povo do Norte”

Durante muito tempo não voltou a falar do clube, ou do campo. Mas a 26 de Março de 1922, pg 2, noticia:

Um campo de jogos

Está finalmente resolvida a única dificuldade que há muito vinha estorvando a organização definitiva do Sport Clube de Vila Real.
Devem começar amanhã, atrás do Calvário, os trabalhos de terraplanagem para a construção de um campo de jogos…”

Em 30 de Abril, o campo recebe um jogo de beneficência, entre o Sport Atleta e a Juventude Antoniana.
Mas a inauguração oficial tem um programa de 4 dias, que o jornal “O Povo do Norte” publica (11 Junho 1922, pg2).
Como curiosidade, o facto de o campo ser citado muitas vezes como o “campo da Eira”.

Mas este surgimento do futebol na cidade, logo trás mais clubes. Um deles, profusamente citado durante vários anos, e concorrente até às competições distritais por mais de uma vez, era o Grupo Desportivo de Salvação Pública, equipa no âmbito de uma das 2 corporações de bombeiros da cidade. Terá surgido em 1922, sendo citado pelo jornal atrás referido em 6 de Agosto.
Haveria até de dispor de um campo de futebol, que constrói num terreno no Pioledo, atrás do Teatro Circo, que se situava frente ao mercado municipal.
Foi inaugurado em Outubro de 1926, num jogo com o Salgueiros, que venceu por 6-0.
(ver O Povo do Norte 2 Maio e 24 Outubro de 1926).

Mas entretanto (1923, 4 Março, O Povo do Norte), logo outro clube surge, e este ligado à outra corporação de bombeiros. É o Voluntário, também muito activo por vários anos, como relatam abundantemente os jornais da época, mas que só teve uma participação oficial, em 1926/27.

Mas não é só na cidade que o futebol está muito activo. A aldeia de Medrões é citada em Fevereiro de 1926, a propósito da ida ali do Grupo do Salvação, para jogar com os locais.