Futebol Saudade

Desde que, há mais de 100 anos, se fez o primeiro campeonato de futebol em Portugal, que a "passerelle", que é a vida desportiva, viu desfilar milhares de clubes.
Uns ainda hoje existem, pujantes e vigorosos até, outros, embora perdendo protagonismo, ainda resistem. Mas muitos ficaram pelo caminho.
Passaram ao futsal, deixaram o desporto, ou fecharam mesmo as portas. É dos que partiram (e não só), que aqui vamos tentar deixar a memória.




sábado, 5 de julho de 2008

de 1938 a 1948


Em 1938/39 reformulam-se outra vez as competições nacionais. Acaba o Campeonato de Portugal, e são criados os campeonatos nacionais da 1ª e 2ª divisões, e a Taça de Portugal. Continuam a ser os distritais a definir quem participa.
Na primeira divisão participam 10 equipas, sendo 4 de Lisboa, 3 do Porto, 2 de Setúbal, e 1 de Coimbra.
A segunda divisão, estruturada por províncias, em dois grupos (Minho, Alto Douro, Douro Litoral, Beira Alta, Beira Baixa, Beira Litoral, constituíam o 1º grupo, com 6 equipas por província, com excepção do Alto Douro) e Estremadura, Alto Alentejo, Baixo Alentejo e Algarve no 2º grupo. O objectivo desta ordenação era diminuir as distâncias entre clubes, minorando as despesas. Cada campeonato provincial tinha qualificação por pontos, e cada campeão de série ficava apurado para a eliminatória de qualificação por grupo. No 1º grupo 2 equipas ficavam isentas por sorteio, e as restantes apuravam em eliminatória as integrantes dos oitavos de final do Campeonato.
No 2º grupo ficavam isentas 3 equipas, definindo-se por eliminatória quem ficava apurado para os oitavos de final.
Em eliminatórias sucessivas, em dois jogos, apurava-se o campeão.
A Taça de Portugal integrava os clubes da 1ª divisão, a que se juntavam os primeiros 6 da 2ª. Até 1947/48 foi este o figurino competitivo. Nesta época criou-se uma nova divisão nacional, a 3ª, e com fase preliminar nos distritais, que viram assim reduzida a sua importância. Os principais clubes portugueses nunca mais participaram nestas competições regionais.
Escrutinar aqueles que entretanto ficaram pelo caminho, quer porque tenham deixado este jogo, mas mantendo a existência, quer porque se tenham junto a outros e fundado novos clubes, quer ainda porque simplesmente deixaram de existir, é o que nos propomos citar.

Os 59 clubes detectados:


ÁGUIA SPORT CLUBE VILAFRANQUENSE
ALCOBAÇA FUTEBOL CLUBE
ATENEU DESPORTIVO REGUENGOS (?)
ATLÉTICO CLUBE EGITANIENSE
ATLÉTICO CLUBE FLAVIENSE
ATLÉTICO CLUBE TRAVANCA
BOA ESPERANÇA ATLÉTICO CLUBE PORTIMONENSE
BONFIM FUTEBOL CLUBE
CLUBE DESPORTIVO ARROIOS
CLUBE DESPORTIVO FARO
CLUBE DESPORTIVO NACIONAL
CLUBE FUTEBOL ALBICASTRENSE
CLUBE FUTEBOL ELVENSES
CLUBE FUTEBOL GOUVEENSES
CLUBE FUTEBOL OS BODIOSENSES
CLUBE FUTEBOL OS COVILHANENSES
CLUBE FUTEBOL OS MINEIROS
CLUBE FUTEBOL OS PINHELENSES
CLUBE FUTEBOL SANTA CLARA
CLUBE FUTEBOL CALHABÉ
FLÁVIA SPORT CLUBE
FUTEBOL CLUBE GAIA
GINÁSIO CLUBE SUL
GLÓRIA FUTEBOL CLUBE
GRÉMIO PROSPERIDADE CANDAL
GRUPO DESPORTIVO CASA POVO ROSSIO AO SUL TEJO
GRUPO DESPORTIVO COVILHANENSE
GRUPO DESPORTIVO CUF (LISBOA)
GRUPO DESPORTIVO MACEIRA LIZ
GRUPO DESPORTIVO OPERÁRIO
GRUPO DESPORTIVO OS FÓSFOROS
GRUPO FUTEBOL OPERÁRIO VILAFRANQUENSE
GRUPO UNIÃO FUTEBOL (VISEU)
INDÚSTRIA FUTEBOL CLUBE CEBOLENSE
LANIFÍCIOS FUTEBOL CLUBE
LUSITÂNIA DESPORTO CLUBE
ONZE UNIDOS FUTEBOL CLUBE
OPERÁRIO FUTEBOL CLUBE (VILA REAL)
SOCIEDADE LUSO UNIÃO SERPENSE
SOCIEDADE UNIÃO DESPORTIVA (SUD)
SPORT CLUBE CONIMBRICENSE
SPORT CLUBE JUVENTUDE (CALDAS)
SPORT IMPÉRIO MARINHENSE
SPORT LISBOA COVILHÃ
SPORT LISBOA ELVAS
SPORT LISBOA ÉVORA
SPORT LISBOA FARO
SPORTING CLUBE ARCOENSE
SPORTING CLUBE CASTELO BRANCO
SPORTING CLUBE LIMARENSE
SPORTING CLUBE PÓVOA
SPORTING CLUBE RIBEIRENSE
SPORTING CLUBE TOMAR
UNIÃO ARGENTINO FUTEBOL CLUBE
UNIÃO DESPORTIVA ROSSIENSE
UNIÃO FUTEBOL SESIMBRA
UNIÃO PIEDADE FUTEBOL CLUBE
UNIDOS CLUBE LISBOA
UNIDOS FUTEBOL CLUBE (BARREIRO)

2 comentários:

Olheiro disse...

Meu caro,
Umas boas férias é o que lhe desejo.

Queria só agradecer-lhe os dados que disponibiliza neste blogue e dizer-lhe que tem aqui um lapso.

No primeiro campeonato nacional de futebol (1938/39) participaram 8 equipas. 4 de Lisboa (Sporting, Benfica, Belenenses e Casa Pia), 2 do Porto (Académico e Porto), 1 de Coimbra (Académica) e 1 de Setúbal (Barreirense).

Na época seguinte (39/40) é que foram 10 as equipas participantes, fruto de um alargamento (a "tradição" vem de longe) que permitisse que o campeão Porto pudesse disputar o Nacional, uma vez que ficara em 3º no Distrital, o que significava o seu não apuramento para o campeonato principal.

Um abraço

Anónimo disse...

Como a história tem, para alguns, a sua verdade conveniente, é sempre bom repôr os factos.
Efectivamente foi em 1939/40 que o campeonato teve 10 equipas, para que o Porto concorresse, pois tinha ficado em "terceiro lugar".
Mas como? No campo, ganhou o jogo repetição ao Académico por 1 a 0. O jogo primitivo "terminou" com zero a zero. E a FPF só se desdisse da decisão de mandar repetir o jogo, depois de um célebre "relatório" do dr. Virgílio Paula.
E para encurtar razões, fica aqui um excerto do comunicado do Leixões, "promovido" a campeão regional:

"A direcção do Leixões Sport Clube comunica aos seus inimigos, amigos e consócios:
1 - a única recompensa a que tem jus, é a que lhe proveio da conquista do 2º lugar no torneio regional acabado de disputar.
2 - que com a independência que lhe dá a sua acção em prol do desporto, julga que devia manter-se integralmente o critério da entidade organizadora do campeonato regional.
3 - que com constrangimento aceitará todo e qualquer título que não traduza o mérito e esforço da sua actuação."

Mas isto era no tempo da palavra de honra, do empenho das barbas, e de outras verticalidades agora tão arredias. Até na deturpação dos factos, como paliativo às frustrações.
Fica a realidade. As especulações "seguirão" com cada um, valendo o que valem.