Futebol Saudade

Desde que, há mais de 100 anos, se fez o primeiro campeonato de futebol em Portugal, que a "passerelle", que é a vida desportiva, viu desfilar milhares de clubes.
Uns ainda hoje existem, pujantes e vigorosos até, outros, embora perdendo protagonismo, ainda resistem. Mas muitos ficaram pelo caminho.
Passaram ao futsal, deixaram o desporto, ou fecharam mesmo as portas. É dos que partiram (e não só), que aqui vamos tentar deixar a memória.




terça-feira, 30 de novembro de 2010

Condestável Atlético Clube, uma saudade.













Foi numa já longínqua manhã de domingo, onde o nevoeiro se abatia na cidade, que um reclame colocado numa paragem de autocarro me chamou a atenção.
Ali se enfatizava o espírito de subalternidade dos portugueses. O anúncio, sobre um renomado hotel francês, rezava mais ou menos:

- a tradicional arte de bem servir portuguesa, aliada à classe francesa.

Ocorreu-me este episódio, quando fui à procura do Condestável.
Também Aljubarrota foi uma manifestação de subalternidade portuguesa. A estratégia foi dos ingleses, useiros e vezeiros em derrotar a empáfia gaulesa, a que se juntou a bravura, generosidade e determinação dos portugueses, que fizeram o trabalho de campo! Infligiram a Castela uma das suas mais humilhantes derrotas, e assim se colocou no trono um português.
A batalha foi nos campos de S. Jorge, onde muito mais tarde surgiu o futebol, e por isso, quando se tratou de arranjar um nome para o clube que então nascia, em 1 de Maio de 1964, logo o Condestável veio à mente. E assim nascia o Condestável Atlético Clube. Quatro anos após, filia-se na AF do distrito (Leiria), e passa a jogar o futebol oficial.
O campo António Pereira Fino serve-lhe de palco, e escolhe como cores identificadoras o vermelho e o preto. Em 1998 fecha as portas, depois de ter passado pelo futebol nacional em 1977/78.
Mas terá tido sempre um percurso de dificuldades, vencidas com muita entrega e generosidade. O campo, inicialmente apenas um descampado, foi primeiramente dotado de balneários, inaugurados a propósito do 4º aniversário em 1968, como cita o jornal Região de Leiria em 4 de Maio. Depois, corria o mês de Agosto, é a vedação do campo que trás activos os seus apaniguados, estando os atletas em intensos treinos, visando a estreia no futebol a sério, treinados por José Luciano Barbosa, um antigo árbitro.
Entretanto o clube começa a sua participação oficial, jogando a Taça Sampaio Ramos, que se inicia a 27 de Outubro de 1968. Joga a zona Norte, tendo por parceiros:
Pombal, Mirense, Vieirense e Marrazes.
No primeiro jogo em casa, empata com o Pombal por 2. O jornal RL de 2 de Novembro, na sua página 4, diz que o jogo se realiza no campo Nun’Álvares, em S. Jorge, tendo alinhado:
Alexandre; Duarte, Ramalho e Pompa; Ruivo, Tonito, Carlos e Santos I; Jesus, José
Manuel e Santos II.
A prova foi ganha pelo Industrial Vieirense.
Já no campeonato, onde participam 12 equipas, o Condestável não foi feliz. Ficou em último lugar, mas teve a compensação de ganhar a Taça Disciplina, instituída pelo Jornal do Reguengo. Realiza uma festa para a exibir, e aproveita para inaugurar a luz eléctrica. (RL de 6/DEZ/1969, pg 8).
Começa aqui a vida oficial de um clube, que haveria de chegar até ao virar do século. Hoje restam as saudades, sentimento bem português.











(segundo o Jornal de Leria, pg 42 de 9 de Dezembro de 2010, o clube vai ser reactivado, agora com futsal e painball)

.

4 comentários:

joao disse...

É com agrado que comento este post, para dizer que o Condestável Atlético Clube foi reactivado após 13 anos de inactividade!!!!

Os moldes são naturalmente diferentes mas o espirito será o mesmo.

João Gomes

victor sousa disse...

Ora aí está uma boa e interessante notícia!

Fico expectante de conhecer pormenores deste anunciado ressurgimento.

Condestável Atlético Clube disse...

Visite-nos na nossa pagina do
Facebook ou no nosso blog

http://condestavelac.blogspot.com/

Condestável Atlético Clube disse...

Visite-nos na nossa pagina do Facebook ou em http://condestavelac.blogspot.com/